Tocantins - 26/10/2020 - 18:36

Como chegar por conta própria no Jalapão

Postado em 30/04/2019

Compartilhe no:

“O Jalapão é bruto”. Essa frase está em todo cantinho da cidade, e não é toa. Percorrer as estradas do Jalapão não é tarefa para amadores, dirigir ali é para motoristas experientes em 4×4 e em estradas de areia.

Chegar por conta própria no Jalapão pressupõe, então, que está indo de carro 4×4 da sua cidade até lá ou que vai até Palmas de avião e alugará um carro para seguir viagem. Mas fique atenta, pois a quantidade de carros aptos para ir para o Jalapão é pequena e em feriados e fins de semana costumam estar esgotado. Se for o caso, reserva com bastante antecedência.

Ir por conta própria, pressupõe:

  1. Que você tenha ou alugue um carro 4×4, com tração nas quatro rodas. No Jalapão só se chega assim. ANOTE ISSO. Muitas pessoas acham que é brincadeira e NÃO É. Portanto, não recomendo a viagem em um veículo sem tração nas quatro rodas em nenhuma hipótese.
  2. Que você provavelmente não ficará nas melhores pousadas de lá. Elas estão quase sempre lotadas, pois fazem parceria com as agências de viagem que fazem as expedições pelo Jalapão. Assim, você acaba ficando a mercê das pousadinhas beeeem simples de Mateiros ou São Félix, ou então dos quartos das casas de alguns moradores que servem de estadia. Nesse caso, é bom esquecer limpeza de quarto, televisão, internet, café da manhã variado e cama feita. O esquema é roots mesmo.
  3. Que suas opções de locais para almoçar e jantar serão bem restritas.  A maioria dos restaurantes funciona com pedidos sob encomenda. Com as agências de turismo, você já tem toda a sua alimentação acertada e garantida e não precisa se preocupar com isso.

Sendo assim……. Por conta da segurança, comodidade e facilidade, sugiro fortemente que entre em contato com algumas agências para cotar o preço, verificar a credibilidade e ir feliz.

Mas se ainda prefere ir por conta própria, saiba que as principais cidades de apoio para quem pretende visitar o Jalapão são: Ponte Alta do Tocantins, Mateiros e São Félix do Tocantins. As três formam um roteiro circular que começa e termina em Palmas.

Para chegar ao paraíso as opções são: ir por Mateiros (passando por Ponte Alta) ou ir por São Félix (passando por Novo Acordo).

O ideal é chegar por umas das duas cidadezinhas e sair pela outra, ou seja, fazer um trajeto circular.  Quanto mais cidades inclusas na hospedagem, menor o desgaste com deslocamento e maior o número de atrações visitadas.


Para chegar em Mateiros: Ir por Ponte Alta, que está a 215 km de Palmas e depois seguir por mais 165 km de estrada de chão. As condições são bem ruins, vários trechos com areia fofa, buracos e costelinhas. Não é uma estrada tranquila e por ser difícil, é bem demorada. A cidade recebeu este nome em função da grande quantidade de veados mateiros encontrados na região. É onde a maioria dos turistas se hospeda, inclusive os que vão com agências de viagem. É importante saber que a infraestrutura de lá ainda é pequena, não tem internet na cidade, só em algumas pousadas você consegue wifi e há poucos lugares para você comer e tomar uma cerveja. Em termos de hospedagem, como lá em cima, as empresas de viagem fecham as pousadas mais estruturadas, que são a Beira da MataSanta Helena, Buritis Panela de Ferro

Para chegar em São Félix: Ir para Novo Acordo, cerca de 115 km de Palmas e seguir por mais 150 km de estrada de terra, também em condições bem razoáveis, talvez um pouquinho menos pior que a primeira opção. Também demora bastante, não tem jeito. O povoamento do município se iniciou com migrantes nordestinos vindos principalmente do Piauí, Maranhão e Bahia, surgindo como arraial em 1736. O município é menor ainda que Mateiros e tem pouquíssimas opções de hospedagem. Minha sugestão é ficar hospedada no Fervedouro Bela Vista, a atração mais incrível de São Félix. Lá tem quarto comunitário e chalés recentemente construídos. Fale com o Jecimar e fique a apenas dois passos do paraíso. 

Compartilhe no:

Relacionados