Tocantins - 04/12/2020 - 01:29

Grávida em tempos de pandemia: quais os cuidados devem ser tomados

Postado em 30/07/2020

Compartilhe no:
Muitas grávidas buscam saber sobre o tratamento em caso de contágio com o vírus, mas de acordo com estudos já realizados, até o momento não existe um tratamento comprovadamente eficaz
Fotógrafo: Raiza Milhomem

A enfermeira e residente do Programa de Residência Multiprofissional em Saúde da Família e Comunidade oferecido pela Fundação Escola de Saúde Pública de Palmas (Fesp) Larissa Campos, 29 anos, está no sexto mês de gestação do seu segundo filho. Mesmo atuando na área da saúde, muitas dúvidas e inseguranças que já acompanham as grávidas, em tempos ditos normais, aumentaram bastante neste período da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Vivendo intensamente este momento da espera de mais um menininho, Larissa sugeriu aos colegas de residência a produção de uma material informativo para ajudar a esclarecer algumas dúvidas que as grávidas têm sobre a gestação neste período, além dos cuidados que as famílias podem tomar para prevenir o contágio da doença.

De acordo com dados levantados pelos residentes para a elaboração do conteúdo, pesquisas apontam que não foram encontradas evidências de que grávidas tenham maior risco de desenvolver complicações graves da Covid-19. Porém, existem pesquisas ainda mais recentes que demonstraram que mulheres com idade gestacional superior a 34 semanas e Índice de Massa Corporal (IMC) maior que 30, apresentaram mais probabilidade de complicações respiratórias devido a infecção causada pela Covid-19.

Segundo Larissa, existem estudos apresentando que não há transmissão da mãe para o feto. “Entretanto, existem relatos de casos em que a transmissão da Covid-19 entre a gestante e o recém-nascido apresentou probabilidade positiva, com detecção do vírus em extratos placentários”, disse a enfermeira Larissa

Folder

No material produzido pelo grupo de profissionais residentes de várias áreas de atuação da saúde, disponível em um folder que vem sendo compartilhado nas redes sociais Fesp, no endereço eletrônico (@fesppalmas) e nos perfis de saúde de Palmas, além de ser enviado via WhatsApp para as gestantes acompanhadas na rede de saúde de Palmas.

Ainda conforme com o material, as recomendações gerais de prevenção devem ser seguidas por toda população, incluindo as gestantes. A primeira medida de cuidado é evitar aglomerações, manter os ambientes bem ventilados, lavar as mãos com água e sabão frequentemente, usar o álcool em gel a 70% para higienização das mãos, evitar tocar olhos, nariz e boca. E se for espirrar, usar etiqueta respiratória. Sempre usar máscaras de tecido quando precisar sair de casa.

Os residentes Larissa Campos, Verônica Rodrigues, Anny Letícia Fernandes, Taílla Paiva, Marcio José Fernandes, Raisa Rodrigues e Thallissa Aparecida Freitas compõem o grupo que elaborou o guia.

Dúvidas

Mesmo com todos estes cuidados, a gestante tiver contato com alguém contaminado e começar a apresentar sintomas, o que deverá ser feito? De acordo com os especialistas, se a gestante estiver com os sintomas mais comuns que são febre (acima 37,8ºC), tosse, dificuldade de respirar, cansaço e dores musculares, deverá procurar o quanto antes seu médico/ enfermeiro de pré-natal para avaliação e acompanhamento do quadro.

Muitas grávidas buscam saber sobre o tratamento em caso de contágio com o vírus, mas de acordo com estudos já realizados, até o momento não existe um tratamento comprovadamente eficaz, ou que seja específico para gestantes.

Compartilhe no:

Relacionados