Tocantins - 24/10/2020 - 23:02

Pacientes com Covid-19 são transferidos do Pará para UTIs particulares de Palmas

Postado em 16/05/2020

Compartilhe no:

Acolhimento de pacientes de outros estados está sendo acompanhado pelos órgãos de fiscalização. Conselho Federal de Medicina alerta para o risco destes leitos fazerem falta no futuro.

Pacientes do estado do Pará com diagnóstico de Covid-19 foram trazidos para o Tocantins em UTIs aéreas. O G1 apurou que pelo menos 15 pessoas do estado vizinho estão internadas em leitos particulares de terapia intensiva em Palmas. A situação foi conformada pela Secretaria Municipal de Saúde da capital e está sendo acompanhada por órgãos de fiscalização. Segundo o Conselho Federal de Medicina (CFM), a chegada desses pacientes acende um sinal de alerta para a importação de casos de coronavírus, além da ocupação de leitos que futuramente podem ser requeridos pela saúde pública do estado para atender pacientes locais.

Os últimos pacientes vindos do Pará teriam desembarcado nesta quinta-feira (14) no aeroporto de Palmas. A Infraero, empresa pública que administra o terminal, informou que os desembarques ocorreram na área do hangar do governo do estado e os pacientes saíram do local em ambulâncias.

G1 ligou para os hospitais particulares em que os pacientes foram internados, mas as ligações não foram atendidas. A empresa que fez o transporte dos pacientes do Aeroporto para os hospitais foi procurada, mas não respondeu aos questionamentos sobre o protocolo de transporte destes casos de Covid-19.

O conselheiro Estevam Rivelo, do Conselho Federal de Medicina, alerta para os riscos no transporte de pacientes com Covid-19. “Tem que observar se foi feito a proteção adequada na circulação dessas pessoas contaminadas no nosso estado”, comentou.

Leitos podem fazer falta

Em abril o governo do estado afirmou que o Tocantins tinha 288 leitos de UTI públicos para atender pacientes de Covid-19. Depois disso, mais dez leitos foram recebidos do governo federal e 42 que já estavam em funcionamento foram habilitados. A taxa de ocupação estava em 35% até o começo desta semana.

Esse acolhimento de pacientes de outros estados, já diagnosticados com Covid-19, é visto com preocupação pelo Conselho Federal de Medicina. O conselheiro alerta para o risco de que esses leitos particulares venham fazer falta para o tratamento do coronavírus no Tocantins.

“Nos já temos uma escassez muito grande de leitos de UTIs dentro do Tocantins. Esses leitos adicionais do serviço privado serviriam até que fossem tomada outra decisão para amenizar uma possível busca de leitos, diante de um colapso da saúde do Tocantins”, analisou.

A preocupação do conselheiro pode ser vista na prática em Araguaína, no norte do Tocantins, onde todos os leitos públicos do Hospital Regional foram ocupados na semana passada e o estado precisou recorrer a UTI de um hospital particular conveniado.

Nesta sexta-feira (15), o estado chegou a 1.179 casos de Covid-19 confirmados. São 82 pessoas hospitalizadas, sendo 37 em UTIs – 21 em leitos públicos e 16 em leitos privados.

A Secretaria Municipal de Saúde de Palmas (Semus) informou que está acompanhando os casos dos pacientes que testaram positivo para Covid-19 no Pará e foram trazidos para as Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) de hospitais particulares de Palmas. Porém, afirmou que a competência da regulação desses casos é da Secretaria de Estado da Saúde, pois foram notificados em outro estado.

O governo do estado afirmou que vai requisitar 70% dos leitos de UTI da rede particular do estado. Essas vagas vão passar para a gestão do estado e serão regulados pela Secretaria de Estado da Saúde.

O Ministério Público Estadual informou que também está acompanhando o caso e recomendou que o poder requisite os leitos particulares de UTI para atender pacientes do estado. (G1-TO)

Compartilhe no:

Relacionados