Tocantins - 04/12/2020 - 14:12

SANTA TEREZA: Lavoura comunitária da Barra da Aroeira tem recorde de produção

Postado em 27/05/2020

Compartilhe no:

A lavoura comunitária é uma das bases para o consumo e a venda de hortaliças e legumes na comunidade quilombola, que fica a 14 km de Santa Tereza.

Número recorde. Os agricultores familiares que trabalham na Lavoura Comunitária da Barra da Aroeira, município de Santa Tereza, colheram cerca de 420 sacos de arroz neste ano. Além de estimular a produção de arroz, o projeto beneficia cerca de 100 famílias de pequenos produtores locais, oferecendo-lhes novas oportunidades.


A extensão da roça comunitária foi tanta que este ano produziu quase o dobro do alimento. Para se ter uma ideia, no ano passado foram colhidos 280 sacos de arroz.


A lavoura comunitária é uma das bases para o consumo e venda de hortaliças e legumes na comunidade quilombola, que fica a 14 km da cidade.


“Essa é uma visão empreendedora que a Prefeitura tem, muito importante para os agricultores familiares locais. A lavoura serve como um estimulante ao associativismo, incentivando o trabalho em cooperação”, diz o prefeito José Raimundo.

Responsabilidade


Todas as famílias do povoado interessadas podem participar da produção. Entretanto, cada parte da lavoura é de responsabilidade de uma família, já divididas antes do plantio.


Como a área é da comunidade, a Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Agricultura, entra com a derrubada com trator, a aragem do solo, o adubo utilizado e a colheita. A comunidade só participa com a mão de obra de plantar e colher.


Na colheita, a Prefeitura também oferece um almoço festivo, que neste ano não foi realizado por causa da pandemia do novo coronavírus. Na ocasião, as famílias foram beneficiadas com o arroz colhido. Além do arroz, também é produzido o milho, abóbora, mandioca, e outras leguminosas.


“O principal objetivo da Prefeitura é fomentar essa produção. Já é uma cultura deles, visando o mantimento das próprias famílias, já que eles não plantam só arroz. Para a Prefeitura, é muito significante, pois são famílias que são mantidas ali com o incentivo. Esse crescimento é bom, eles se tornam independentes, vendem nas feiras”, ressaltou o secretário de Agricultura, Narcisio Moura.

Compartilhe no:

Relacionados