Tocantins - 22/10/2020 - 20:18

Para coletar maior volume de água durante as chuvas, Secretaria de Infraestrutura amplia e constrói bocas coletoras na Capital

Postado em 25/02/2019

Compartilhe no:

Com o objetivo de intensificar o escoamento da água durante o período de chuva na Capital, a Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicos realiza a ampliação e construção de novas bocas coletoras, ou bocas de lobo, em pontos considerados críticos nas principais avenidas de Palmas. A ação é realizada com o objetivo de aumentar a capacidade da drenagem pluvial durante as fortes chuvas.

Neste ano foram construídas e duplicadas bocas coletoras no Jardim Aureny I, na Arse 41, na Arno 61 e nas avenidas Teotônio Segurado, LO 01, LO 02 e LO 03. Estão previstas ainda a construção de cinco bocas coletoras e a duplicação de outras sete no intervalo da Avenida NS 01, entre a LO 01 e 03. O sistema de captação instalado na região não foi o suficiente para drenar o volume de água e o trecho ficou submerso durante a forte chuva nos últimos dias.

Para otimizar a drenagem das bocas coletoras existentes, equipes da Seisp realizam rotineiramente a desobstrução e manutenção desses acessos. A ação consiste na retirada da sujeira, do lodo e manutenção da grelha de proteção. Entre os objetos encontrados pelas equipes estão garrafas Pet, embalagens plásticas, sacolas descartáveis e estacas de madeira.

A função das bocas coletoras é escoar a água pluvial e conduzi-la através das galerias subterrâneas para o sistema de macrodrenagem, que lança a água no Lago de Palmas ou em ribeirões. Com o processo de urbanização das cidades, as ruas e avenidas tornam-se impermeáveis, ou seja, perdem a capacidade de absorver a água das chuvas. O pavimento asfáltico, as calçadas, residências e comércios criam uma espécie de capa sobre a cidade, impedindo que a água infiltre no solo.

A arquiteta e urbanista Yane Lopes conta que, para lotes residenciais, a taxa de permeabilidade (área mínima que deve existir de solo natural dentro de um terreno) é de 25%. Segundo a arquiteta, essa percentagem de solo permeável contribui para o escoamento da água das chuvas. “O solo permeável é um mecanismo natural de manejo da água pluvial e diminui pontos de alagamentos urbanos na Capital”, explica Yane.

Obras de ampliação

Em dezembro de 2018, a Prefeitura de Palmas assinou um contrato com o Banco de Desenvolvimento da América Latina – CAF, no valor de U$ 60,85 milhões destinados à execução de obras de infraestrutura na Capital.

Entre as obras a serem realizadas estão a drenagem pluvial e macrodrenagem no Jardim Taquari, Taquaralto, Arne 54 e Arne 64. Estão previstas ainda a drenagem pluvial no setor Santa Fé, Ars-se 25 e 85; setor Morada do Sol I e II e conclusão de drenagem pluvial da Ars-se 15 e Ars-ne 25. Será realizado também a macrodrenagem na Av. LO 21, entre a rodovia TO 050 e Avenida NS 05 e a macrodrenagem da Avenida NS 05 entre as avenidas JK e NS 10

Compartilhe no:

Relacionados