Tocantins - 31/10/2020 - 10:01

RIO SONO: Coronavírus e gravidez: “Eu superei a covid-19”

Postado em 03/06/2020

Compartilhe no:

ESPECIAL: Por Nayla Oliveira

Uma notícia boa traz esperança em meio à pandemia causada pelo coronavírus (Covid-19). Valdéia Martins, 32 anos, foi infectada pelo vírus. Após os primeiros sintomas, ela se manteve em isolamento domiciliar e hoje ela conta como superou a doença no período de sua primeira gravidez.


 


Se enfrentar o coronavírus já é difícil para pessoas em bom estado de saúde, imagine para quem está em período de gestação. Esse desafio foi superado pela moradora e Secretária de Finanças do Município de Rio Sono, Valdéia Martins Rodrigues. A gestante está curada do novo coronavírus, após 17 dias de isolamento na cidade. O alívio, no entanto, supera todas as más lembranças. “Eu venci, somos vencedores”, disse Valdeia.

Grávida de seis meses do primeiro filho, ela relata que teve uma recuperação rápida, mas que sua maior preocupação foi com o bebê. Para aplacar a ansiedade, Valdeia manteve o foco em cuidar de tudo o que não tinha tempo na rotina diária. “É inevitável a tensão e temor pela vida do bebê. Procurei estudar mais sobre o assunto, pois sei que até os profissionais de saúde não sabem 100% sobre doença. O que se sabe é que os riscos existem, porém numa escala menor pois estou no segundo trimestre de gestação.”

“Quero deixar um alerta: a covid-19 é uma realidade para todos nós; apresenta sintomas que vão de leves a graves, o que nos obriga a sermos prudentes”


Apoio


Valdeia conta que durante seu tratamento recebeu apoio de toda família, amigos e igrejas e isso faz uma diferença grande no período que uma pessoa contaminada precisa está em isolamento. Ainda para ela, o cuidado da equipe de saúde do Município foi fundamental. “Recebi toda atenção da equipe de saúde do município. Parabenizo a todos em nome da Secretária Municipal de Saúde Namayra Gomes que tem desempenhado um trabalho de excelência, apesar de sabermos que tem sido árduo e intenso. Existe dedicação na busca dos sintomáticos e seus contatos, bem como é feito o monitoramento”, ressalta.

Nesses dezessete dias de isolamento, Valdeia teve ao seu lado a mãe, que para ela foi o apoio mais importante, mesmo sabendo do risco, a mãe de Valdeia não deixou faltar nada à filha. Dona Adélia Gomes Martins não apresentou sintomas, mas, alguns dias depois, a família recebeu a noticia da contaminação de seu pai, Senhor Valdivino Ribeiro Rodrigues, 62 anos, que testou positivo e com sintomas leves “Quando amamos alguém que fica doente, um pedaço de nós adoece junto, pela tristeza e pela impotência que sentimos. Mas abraçamos uns aos outros e estamos vencendo esse vírus que se tornou um inimigo invisível. Meu pai está bem, em tratamento domiciliar, e falta pouco para juntos comemorarmos a recuperação dele também”, conta Valdeia.




Valdeia não esconde a emoção ao falar da ansiedade e orações que recebeu dos amigos.“É quase impossível não ter um grau de ansiedade, porém acredito que ter fé e tomar as medidas corretas foi muito importante. As orações que recebi também contribuíram muito para que eu não entrasse em pânico. Diante de uma doença tão fatal, como é pregado, poderia ter entrado em desespero, mas tive calma. Busquei remédios caseiros, apoio da família, amigos da comunidade. E busquei uma alimentação saudável”, relata.

Hoje Valdeia diz que o motivo é duplo para celebrar: “Estou muito feliz, depois do que passei e venci, tudo em minha vida é especial. Comemoro duas vezes, por me e pelo meu filho”, afirmou.


Diagnóstico

Valdéia foi diagnosticada no dia 25 de maio, após oito dias de sintomas leves. Antes disso, estava tomando todas as medidas de prevenção e realizando sua rotina de trabalho em domicílio. Esteve em Palmas alguns dias antes de sentir os sintomas, e assim que sentiu comunicou ao Serviço de Saúde, e logo ficou em monitoramento.

Após o exame, a doença foi confirmada. “Não sabemos como adquirir a doença. Sei das minhas responsabilidades e cuidados que sempre eu e minha família temos. Sabemos que embora tenhamos todos os cuidados estamos expostos o tempo todo por isso acho que o isolamento é fundamental”, entoa.

Após dezessete dias, uma nova avaliação médica foi realizada, e a gestante foi liberada do isolamento, e comemora aliviada a recuperação. “Senti muita dor de garganta e nariz entupido. Depois de quatro dias tive perda de paladar e de olfato. Mas graças a Deus, eu superei. A minha gravidez corre tranquilamente, sem alterações, o bebê está se desenvolvendo dentro do previsto”, conta.



Experiência/isolamento


Passados os dias de dificuldade, Valdeia conta que a experiência fortaleceu nela a crença na importância da quarentena. “Sinto-me agradecida a Deus e a todos porque só eu sei o que passei, o desespero de uma doença que a gente não conhece, me sinto bem. Hoje minha família e meus amigos já estão mais tranquilos, eles ficaram super preocupados comigo nesse período da doença. Então, saber que estou curada nos trás alívio”, afirma, ao reforçar a defesa do isolamento.

“Estou sendo prova viva de que é possível superar, isso claro depende muito de como cada organismo reage, mas tendo fé e todos os cuidados a recuperação é possível sim”



A volta com cuidado


Após o pesadelo, Valdeia se prepara pra voltar ao trabalho, nesta quinta-feira, 5 de junho, ela reitera que é necessário ainda ter cuidado com a doença. “Quero deixar um alerta: a covid-19 é uma realidade para todos nós; apresenta sintomas que vão de leves a graves, o que nos obriga a sermos prudentes. Assim, cabe a nós cidadãos termos consciência do nosso papel, no combate a essa doença, seguir as recomendações. E que se porventura der positivo – o que não desejamos pra ninguém – que tenham fé em Deus ou no Ser que mais acreditem. Cuidem-se, procurem ter uma alimentação saudável. Estou sendo prova viva de que é possível superar, isso claro depende muito de como cada organismo reage, mas tendo fé e todos os cuidados a recuperação é possível sim. Chegaremos ao final dessa fase tão difícil e, eu só tenho a agradecer a

Compartilhe no:

Relacionados