Tocantins - 02/12/2020 - 08:47

A arte e o empreendedorismo da jalapoeira Luzia Tavares

Postado em 23/05/2018

Compartilhe no:

Orientação técnica contribui para desenvolver o potencial de artesãos do Jalapão.
A empreendedora Luzia é um exemplo de sucesso da região

Aproveitando os recursos naturais e o potencial local, o Sebrae Tocantins atua no apoio e orientação aos artesãos em todo o estado. No Jalapão, o foco tem sido desenvolver peças originais e que tenham identidade local, utilizando o capim dourado, que ganhou popularidade e não mais está presente apenas no Tocantins como também é largamente utilizado em todo o Brasil e até no exterior.


A parceria entre a instituição e os artesãos tem dado certo. A beleza natural do capim dourado, aliada a outros materiais naturais e a novas ideias de design propostas, agregaram ao artesanato local mais requinte e originalidade, o que contribui para o crescimento da comercialização do artesanato. Um dos produtos desenvolvidos pelo Sebrae é o selo de identificação geográfica que coloca o capim dourado como produto único e típico do Tocantins.

 

 

Um caso de sucesso é o da artesã Luzia Sousa Tavares, de 41 anos, natural de Mateiros. A professora por formação e artesã por herança familiar, é a autora do famoso buquê de capim dourado que estrelou na novela global “O outro lado do paraíso”. No lugar das flores de verdade, a atriz Erika Januza entrou na igreja segurando o buquê confeccionado por Luzia.

“No meu casamento eu confeccionei meu buquê, em 2012. Minha irmã postou as fotos e a produção teve acesso e acharam interessante a peça. Quando eu estava fazendo o buquê o povo já estava comentando. No dia que foi ao ar a gente sabia que ia passar a cena, toda a família se reuniu para assistir. Muita gente me ligando falando olha o seu buque na novela. É muito gratificante ver o seu produto assim brilhando na televisão”, contou.

Luzia, que aprendeu com a mãe o ofício de tecer o capim dourado, conta que o produto tem sido essencial na renda familiar, tendo contribuído inclusive para a sua formação em pedagogia. “Eu morava em Palmas, quando minha mãe ficou doente vim para cá para morar com ela e aprendi a tecer. As peças que produzia eu vendia para pagar a faculdade, foi assim que consegui estudar e me tornar professora”, ressaltou.

 

Orientação para crescer
A artesã destaca que o suporte e orientação repassados pelo Sebrae Tocantins tem sido essenciais para o seu crescimento profissional e para abrir novos horizontes de geração de renda para si e para o município. “O Sebrae é um grande parceiro, vem e incrementa, abre novos leques, novas alternativas, nos dá novas ideias que se transformam em peças como souplás, bolsas, cestas e muito mais”, frisou.

Luzia destacou que sempre busca participar de todas as capacitações oferecidas. “O Sebrae me despertou isso e sempre participo de todas as oficinas, formações. Muitos aqui já participaram de feiras, nossas peças são expostas para fora e o negócio tem crescido e a gente tem conseguido andar com as próprias pernas”, comemorou.

 

Diversificação
A aproximação com o Sebrae Tocantins abriu os horizontes e, além do artesanato, Luzia passará a se dedicar a um novo empreendimento: sua Pousada Aconchego que está em construção em Mateiros, com data prevista de inauguração para o final de junho. A artesã conta que esse era um desejo antigo e, com as orientações e suporte da instituição, foi possível tirar do papel.

“A gente tinha esse terreno e o desejo de construir uma pousada. Meu esposo sempre foi comerciante e decidimos investir. Pensando também que é uma oportunidade de gerar renda para o município, por que vamos precisar de gente também, de contratar pessoas”, afirmou.

 

Luzia destaca o que aprendeu com o Sebrae: atender bem o cliente, e que esse será o diferencial do seu novo negócio. “Participei das oficinas que vão me auxiliar também na pousada, como a que ensina a atender bem o cliente, preparar tudo para deixar o hóspede confortável. Vamos também fazer um atendimento personalizado, anotar os dados do visitante para quando ele voltar a gente já saber das preferências, de como ele gosta de ser atendido. Nosso atendimento será um diferencial em Mateiros”, enfatizou.

 

Apesar de se dedicar a um novo ramo de atuação, a artesã que também é professora destaca que o capim dourado sempre terá lugar cativo em sua vida. “Na pousada quero preparar um local para apresentar as peças aos visitantes e também usar o nosso artesanato para decorar mesmo. É gratificante saber que vou ali na natureza que Deus me deu e colho o capim e dele posso fazer as peças, vender, sustentar a família e construir sonhos. Gosto do manejo do capim, de pegar, de fazer, vou continuar produzindo”, disse emocionada.

Quanto à busca por conhecimento, Luzia ponderou que deve ser constante para se obter o sucesso. “O Sebrae fez e continua fazendo a diferença aqui. Continuo em contato sempre tirando as dúvidas, recebendo orientações para melhor gerenciar o nosso negócio”, concluiu.

Compartilhe no:

Relacionados