Tocantins - 28/02/2024 - 10:51

Folha do Jalapão

APA Lago de Palmas doa 600 mudas do Cerrado para chacareiros do Assentamento Porteirinha em Luzimangues

Postado em 12/02/2024

Distribuição aconteceu na manhã deste sábado, 10, na sede da Associação do Porteirinha III e contemplou 230 chacareiros

Em mais uma ação de incentivo ao reflorestamento, a Área de Proteção Ambiental (APA) Lago de Palmas distribuiu na manhã deste sábado, 10, aos moradores do Assentamento Porteirinha, no Distrito de Luzimangues, em Porto Nacional, 600 mudas de árvores nativas do Cerrado tocantinense, como Jatobá, Ipê Rosa, Ingá e Baru. Localizado às margens do lago da Usina Luís Eduardo Magalhães (UHE-Lajeado), o assentamento fica na estrada para Barrolândia. 

Solicitada pela Associação dos Pescadores e Piscicultores do Porteirinha III, a distribuição das mudas é uma das atividades que a APA Lago de Palmas desenvolve para incentivar e promover o reflorestamento na área de sua abrangência. Conforme o supervisor da APA Lago de Palmas, Abel Andrade, no Assentamento Porteirinha, além da distribuição das mudas, a equipe orienta os 230 chacareiros quanto à prevenção a incêndios, realiza o monitoramento e quando necessário desloca os brigadistas para combater eventuais focos de fogo. 

Para a presidente da Associação do Porteirinha III, Maria Vanda de Castro Araújo, mais conhecida como Vanda, o suporte que a APA Lago de Palmas tem dado aos chacareiros é muito bom. “Quando a gente percebe qualquer início de incêndio, acionamos o seu Abel, que, prontamente, desloca a equipe de brigadistas”, ressalta Vanda ao acrescentar que a prevenção ao fogo vem ao encontro da campanha desenvolvida pela Associação em prol do reflorestamento, que inclui também toda a limpeza das margens do lago na área do assentamento.

“Prevenimos incêndios e plantamos mudas doadas pela APA Lago de Palmas. Inclusive, em novembro ganhamos mudas de jabuticabeira e figo e os já estamos colhendo figos. Uma maravilha”, diz Vanda, de forma entusiasmada.

Reflorestar
Morador do assentamento há seis anos, o pescador Edivan Ângelo de Oliveira foi um dos primeiros a buscar suas mudinhas de árvores nativas do cerrado na manhã deste sábado, 10. Ele relata que na sua chácara, ele e a esposa fazem questão de plantar de tudo, pois, além da pesca, as árvores nativas também ajudam na subsistência da sua família. 

“Hoje, estou levando uns Ipês Rosa e Buriti para plantar na área de preservação que foi desmatada e que aos poucos estou reflorestando”, disse ele ao elogiar a iniciativa da equipe da APA Lago de Palmas.

Fonte: Naturatins

Compartilhe no:

Relacionados