Tocantins - 20/06/2021 - 00:58

APARECIDA: Campanha Abril Azul é encerrada abordando a valorização de pessoas com deficiência

Postado em 29/04/2021

Compartilhe no:

Durante todo o mês a Secretaria Municipal de Assistência Social abordou a superação de pessoas com deficiência de Aparecida do Rio Negro, e encerra a campanha com a entrega de uma linda lembrança nas residências dos participantes.

A cada história mostrada uma emoção e alegria toma conta de todos. A cada sorriso visto, cada brilho no olhar teve o poder de transformar a percepção da população em relação às pessoas com algum tipo de deficiência. Assim foi a Campanha “Abril Azul: somos todos iguais nas diferenças”, realizada pela Secretaria Municipal de Assistência Social de Aparecida do Rio Negro, por meio do Centro de Referência em Assistência Social (Cras).

A campanha ocorreu durante todo o mês, com visitas e lindos registros de pessoas especiais, moradoras da Cidade, que mostraram verdadeiros exemplos de superação, alegria e motivação. “Ao longo desta campanha mais que nunca entendemos que ninguém é melhor do que ninguém, somos todos iguais nas diferenças, mostramos isso nas redes sociais e registramos, todos com uma superação muito linda. São crianças, adolescentes, jovens, mães, pais, avós, que muitas vezes se tornam esquecidos pela sociedade”, ressalta a secretária de Assistência Social do Município, Luisinha Marques.

A campanha está sendo encerrada nesta quinta-feira, 29, com mais um momento especial para os participantes: a visita da equipe a cada residência, com a entrega de um mimo especial, uma linda camiseta da campanha, como forma de gratidão por não terem medido esforços para mostrar essa superação e exemplos de vida.

Cerca de 20 pessoas com deficiência foram visitadas pela equipe do Cras e pela secretária Luisinha. As visitas foram realizadas com empenho da equipe do Cras: coordenadora Priscila Araújo, psicóloga Valéria Brito, assistente social Hiolandia Ribeiro, e orientadora social Andreane Araújo. Na campanha educativa foram evidenciadas em cada participante, por meio de vídeos publicados, suas habilidades e independência.

Participação

O prefeito Suzano Marques acompanhou e encerramento da campanha, juntamente com o vice-prefeito, Assis Coutinho. Suzano enfatizou que sua Gestão é pautada na valorização de todo ser humano. “Nossa Administração tem buscado se resguardar em ajudar a cada um, em valorizar os nossos moradores, quem aqui tem raízes, e essas pessoas tão especiais fazem parte da nossa vida, do nosso cotidiano. Quantos que possuem deficiência já fizeram a diferença na história de nossa Cidade, e queremos levar o nosso carinho, respeito e admiração a cada um, pela determinação e superação”, disse o gestor.

A participação efetiva dos moradores especiais foi fundamental para que a campanha tivesse seu objetivo de chegar a cada um, como chegou a Antônio Neto Barbosa, popularmente conhecido como Netinho, que disse estar feliz em participar. “Eu sou feliz, e sei que todos aqui são iguais. Mesmo com as dificuldades não me deixo abater, graças a Deus estou sempre com amigos e com a família também”, disse ele ao receber a lembrança.

Seu José Ribamar agradeceu a visita, e se emocionou ao ser lembrado pelo Cras. “Está de parabéns o pessoal que trabalha no Cras, eu me sinto feliz com essa campanha, porque é um pessoal humilde e sabe tratar bem as pessoas, isso é importante para nós, me sinto tão feliz com isso”, agradeceu.

Já a mãe da jovem Kênia Brasil, Leonice Brasil, parabenizou a iniciativa. “Eu quero parabenizar a equipe do Cras, em nome da secretária Luisinha, por esse trabalho tão lindo que foi desenvolvido durante a campanha, voltado à pessoa com deficiência.  Estão de parabéns, muito obrigada por ter vindo à minha casa, ter tratado a Kênia com muito carinho, só tenho a agradecer”, disse.

A campanha ainda contará com a publicação de mais um vídeo. A secretária Lusinha se emociona ao avaliar de forma positiva a mobilização. “Foi muito positiva, se não fosse a pandemia teríamos feito muito mais, porque muitas famílias têm um deficiente em casa, a gente que está de fora não tem aquele olhar, muitos pensam que o deficiente é uma pessoa inútil, mas ele tem determinadas habilidades que se mostram até mais capazes que nós, e estamos descobrindo isso, muitos talentos, habilidades que estão esquecidos pela população. Foi muito gratificante tanto por nós da equipe como pela receptividade das famílias, nenhum deles teve receio de expor e mostrar quem realmente são. Fiquei muito emocionada, todos precisam ser realmente valorizados por nós”, conclui.

Compartilhe no:

Relacionados