Tocantins - 06/07/2022 - 01:58

Folha do Jalapão

EMPREENDEDORISMO: Artista Aparecidense Geciel Tavares é destaque no TO e se reinventa durante pandemia

Postado em 29/04/2021

ESPECIAL: Por Nayla Oliveira

Mesmo com as dificuldades dos profissionais da área da cultura em se manter durante o período pandêmico, Geciel Tavares se destaca pela superação e busca de novas metodologias de vendas por meio do empreendedorismo. As telas do artista são a atração de uma mostra em Palmas, após ganhar concurso cultural em comemoração ao Dia da Arte.

Os desenhos nas lindas telas não escondem as raízes do artista plástico Geciel Tavares. Filho de Aparecida do Rio Negro, ele faz questão de se lembrar de onde veio, e demonstrar estes traços por meio da sua arte, que já se espalha por todo o mundo.

“Aprendi a pintar com meu irmão, Gedeon Tavares, que é artista plástico também, aos meus 15 anos, e desde então, eu nunca mais parei. Vivi a minha infância toda em Aparecida e hoje moro em Palmas, mas sempre falo que sou de Aparecida, porque para mim é um orgulho ser um dos artistas de Aparecida. E como em Aparecida tem muitos artistas, é muito bom para mim ser uma das referências deles, do Estado, hoje para mim é muito importante”, ressalta Geciel.

Durante este mês, Geciel, que também é empreendedor, é destaque em uma mostra exposta em um shopping da Capital, após vencer um concurso cultural virtual em comemoração ao Dia Mundial da Arte. O artista venceu pelo número de curtidas nas redes sociais. A exposição “Vitrine da Arte”, foi intitulada como “O encanto das cores em tela”. São pinturas que estarão expostas até o dia 7 de maio, e retratam aspectos regionais, formas geométricas e imagens abstratas com cores fortes e paisagens de tirar o fôlego. Assim, Geciel é holofote entre os artistas, e já concedeu diversas entrevistas.

Ele se orgulha em saber que teve a ajuda dos conterrâneos para ganhar o concurso. “Uma das coisas que eu fiquei muito feliz foi que nesse concurso as pessoas que mais comentaram foram da minha cidade, isso não teve preço, e quando eu ganhei muitos me parabenizaram, me elogiaram e não tem coisa melhor do que o elogio vir primeiro das pessoas da sua cidade”.

Superação na pandemia

Apesar dos esforços dos artistas em se manter, a pandemia dificultou bastante o trabalho, devido ao cancelamento de feiras e eventos, já que muitas de suas vendas eram feitas na Feira do Bosque, em Palmas. No entanto, Geciel conta que buscou novos conhecimentos e aprimoramento para continuar se mantendo com a arte, através do empreendedorismo. O desempenho do artista na pandemia reforça o poder das pequenas empresas diante da economia e os impactos positivos obtidos por meio da inovação e busca de conhecimentos na área, impulsionando a competitividade.

“Nesse momento de pandemia ficou muito difícil da gente estar vendendo o nosso trabalho, porque a feira fechou, mas é daí que eu tive que me adaptar com a internet. Comecei a postar mais no Instagram, Facebook, grupos de WhatsApp, me adaptando a novas maneiras de vender on-line, e também buscando desenvolver o negócio neste sentido”, disse ele, que explicou que hoje as vendas ocorrem em cerca de 80% pela internet. Com isso, o artista não parou mais, e mostra que as dificuldades e os limites vêm para melhorar e surpreender com novas possibilidades, viabilizando que negócios se mantenham e fomentando que outros sejam abertos e formalizados.

A atitude do profissional é exemplo de quem busca se superar na área artística e em meio às dificuldades impostas pelo mercado em tempos pandêmicos, tendo em vista que as vendas das telas não são consideradas essenciais, mas revelam que o direcionamento do público e a metodologia de vendas são fundamentais para o sucesso do negócio.

Geciel comemora a nova fase de realização profissional. O artista que chegou a morar em Cuiabá para se aprimorar na arte, e inclusive exporta telas para o exterior e por todo o País, reforça que a sua inspiração vem das raízes.

“A minha inspiração hoje, ela vem da natureza, dos lugares turísticos do nosso Estado, do Jalapão, que eu trabalho com o capim dourado, as aldeias indígenas, o lago, os rios do nosso Tocantins. No Dia Mundial da Arte, eu deixo uma mensagem sobre o que é arte para mim: é uma forma de eu expressar minhas emoções, meus sentimentos, minha cultura, minha história, e isso eu quero retratar nas minhas pinturas, eu quero repassar isso para as pessoas”, conclui.

Compartilhe no:

Relacionados