Tocantins - 20/07/2024 - 09:09

Folha do Jalapão

EDITORIAL: Vivemos para ver o asfalto chegar ao Jalapão!

Postado em 21/06/2024

Por Wenina Miranda

O governador, curraleiro do Tocantins, que cumpriu a promessa: foram 24 anos de atoleiros, de viagens longas, marcadas por buracos, as chamadas “costelas de vaca”, poeira, lama, tudo isso fez parte da rotina do Jornal Folha do Jalapão, que diga-se de passagem, foi o único veículo de comunicação a desbravar o Jalapão, e a sobreviver a toda essa luta, por amor a essa gente que precisa ser vista e lembrada. Todo esse sofrimento, que era vivido cotidianamente pelo povo jalapoeiro, está chegando ao fim. Sim, o sonho do asfalto está se concretizando, graças ao olhar diferenciado do curraleiro do Tocantins: hoje a nossa manchete é de gratidão ao governador Wanderlei Barbosa!

Neste sábado, 22, vamos presenciar a entrega oficial dos primeiros 50 quilômetros de asfalto da TO-247, que liga Lagoa do Tocantins a São Félix, um sonho que foi sonhado por muitos. São 50 Km que representam vidas, que significam esforços, sofrimento e gente que lutou para que esse dia chegasse, como a nossa equipe. 35 anos separam a criação do Tocantins, do eterno Siqueira Campos, ao dia sonhado, do curraleiro Wanderlei Barbosa entregar a primeira parte do asfalto, que vivemos para ver acontecer. E 24 anos separam a primeira viagem, feita por mim, Wenina Miranda, ao dia em que a equipe da Folha do Jalapão presencia a inauguração do chão preto, em uma das regiões mais lindas do Brasil.

Foram vários gestores, prefeitos que lutaram, vereadores que cobraram, e algumas dezenas de jornais, manchetes publicadas em busca da concretização deste sonho.


Em nossos jornais impressos, o pedido de socorro do povo do Jalapão foi uma das nossas principais manchentes. Estas estradas sem asfalto tiveram vidas perdidas, mulheres que deram a luz devido à demora, pessoas socorridas de avião.

Fim do sofrimento!


Quem pensa que a equipe do Jornal viaja cumprindo um árduo trabalho nas belezas que encantam, não imagina os “perrengues” passados, o cansaço das viagens. Por diversas vezes a equipe da Folha do Jalapão só sabia a data e a hora de saída, só podia programar a partida, nunca a chegada. Na chuva, o atoleiro com a lama. Na seca, os buracos e a poeira. Hoje, em menos de três horas chegamos em casa. Imagine o que é ter horário para sair de casa, mas não saber quando, ou ainda, se irá chegar ao destino. Esse era apenas um dos problemas enfrentados pela população Jalapão.

Onde só se transitava de caminhonete traçada, agora é possível trafegar com veículos de qualquer porte. Era um sonho prometido por muitos, e por muitas vezes desanimamos, chegamos a desacreditar que esse momento chegaria. Essas estradas sem asfalto significaram angústias e sofrimentos, e agora levam alegria, esperança e progresso para um povo que confiou no desenvolvimento da região e suportou todo tipo de dificuldade.

De fato, vivenciamos a vontade política, empenho e uma decisão do atual Governo em aplicar o dinheiro arrecadado com impostos, de volta para o povo. Wanderlei Barbosa conhece de perto o sofrimento dos jalapoeiros. Ele, que faz questão de visitar as belezas do Jalapão, visitou também o sofrimento, e vai ser eternamente lembrado pela execução da obra mais sonhada da região, que é sempre vista por ter um eleitorado pequeno, e por isso, com pouca visibilidade.

São apenas 50 quilômetros de rodovias pavimentadas no trecho que liga Lagoa do Tocantins a São Félix, mas para nós, são vidas salvas. Nós finalmente vamos presenciar esse dia, e hoje, temos a fé e a esperança de que toda a rodovia vai receber o chão preto, já que a ordem de serviço vai ser assinada para a segunda parte da obra que chega até São Félix, o que vai possibilitar ainda mais agilidade a quem realmente precisa de estrada. Não é turismo que precisa de aventura, é o povo que precisa de acessibilidade, de produtos mais baratos, de alimento, de escoamento da produção, de saúde e da vida.

Esperança

E vamos para mais muitos anos de atuação pioneira no Jalapão, agora, sim, acreditando que o chão preto é possível, com determinação e equilíbrio das contas e uso eficiente do dinheiro da população tocantinense. Do mesmo modo em que acreditamos também, que um dia, o chão preto irá chegar ao pequeno trecho da Avenida Sebastião Vasconcelos onde fica a sede da Folha do Jalapão, em Aparecida do Rio Negro, uma espera de 35 anos que temos a esperança que também irá se concretizar.

Gratidão ao governador Wanderlei que já me deu carona para voltar dos atoleiros, e por ouvir o clamor deste povo e da Folha do Jalapão!

Compartilhe no:

Relacionados