Tocantins - 22/04/2024 - 04:17

Folha do Jalapão

ESPECIAL: Valdivina, a mulher que ao lado de José Eurico, iniciou a trajetória de Aparecida

Postado em 30/03/2023

A primeira a ocupar a função de primeira-dama do município, dona Valdivina carrega na memória as ações iniciais executadas na cidade, os cenários, as pessoas. Ela se encarregou de se colocar à frente de uma população que esperava por dias melhores após a emancipação

Se hoje as mulheres podem ter voz, se atuam onde querem, e se conseguem ter destaque, é porque no passado houve lutas, batalhas vencidas por mulheres que se puserem em ordem de batalha por seus direitos, ou pelo simples fato de serem reconhecidas por suas habilidades, inteligência e liderança.

Aparecida do Rio Negro teve a presença de mulheres fortes desde o início da cidade, ainda no antigo Meira Matos. Elas mostraram que podem e conseguem fazer, e mais ainda, lideraram em ambientes que antes eram tipicamente masculinos. Até hoje há a busca por espaços, por respeito e por reconhecimento por parte das mulheres.

Uma das personalidades que mais se destacou no cenário aparecidense é dona Valdivina Costa. A primeira a ocupar a função de primeira-dama, a que junto a José Eurico Costa, liderou o município em tempos em que tudo era difícil.

O Jornal Folha do Jalapão, no mês da mulher, relata a história de vida dessas mulheres, que como dona Valdivina, se entregaram arduamente a suas funções e que foram homenageadas pela Câmara Municipal no Dia Internacional da Mulher.

A atual primeira-dama do município, Luísa Marques, entregou as flores merecidas à homenageada.

Homenagem

Dona Valdivina foi a primeira a exercer a função de primeira-dama do município, honrosa responsabilidade que deixou inesquecíveis marcas na vida de todos. Atualmente com 69 anos, é natural de Itapirapoã no estado de Goiás, e até hoje é uma mulher presente na vida de todos os aparecidenses.

Começou sua história no Tocantins na cidade de Miracema do Norte onde conheceu o jovem José Eurico, que teve seu destino traçado em 10 meses de namoro. Se casou e acompanhou o esposo em Meira Matos onde quase nada existia. Acompanhada de um marido sonhador construíram um comércio, e logo vieram os filhos e os compadres.

Procurando seu espaço, foi submissa na função de esposa e valente na função de mulher. A esperança em trazer o desenvolvimento a impulsionou em lutar e ajudar a construir Aparecida do Rio Negro. É mãe de nove filhos que se transformaram em centenas ao assumir a função de primeira-dama do município. A família construiu um legado único que perpassa as gerações de netos e bisnetos, após um caminho de lutas e dificuldades ultrapassadas em  tempos onde tudo era muito difícil.

Seu trabalho prestado no serviço social, na política, na educação, no acolhimento do povo, foram as marcas de sua vida. Viúva ainda muito jovem, encarou a responsabilidade de criar os filhos, netos e bisnetos, função que exerce com maestria.

Professora e educadora de multidões, ela ensina até hoje através de seu jeito cômico, porém real. Uma mulher que carrega consigo uma história única, que representa a fé, a iniciativa em ajudar o próximo, alegria, e principalmente, garra, força de vontade e determinação.

Por sua história de lutas, por seu exemplo de Mulher, pelo trajeto de conquistas e uma vida de serviços prestados ao município, a eterna primeira-dama de Aparecida do Rio Negro recebeu as homenagens da Câmara Municipal.

Compartilhe no:

Relacionados