Tocantins - 19/05/2022 - 09:09

Folha do Jalapão

Estado passa de 3,1 mil pessoas obrigadas a sair de casa por causa das enchentes

Postado em 21/01/2022

Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil seguem monitorando 31 cidades no estado. Situação mais crítica segue sendo em São Miguel do Tocantins, na região do Bico do Papagaio.

Continua a crescer o número de famílias que precisaram sair de suas casas devido às enchentes no Tocantins. Nesta sexta-feira (21) a Defesa Civil Estadual contabiliza 3.108 pessoas nesta situação, entre desabrigados e desalojados. A situação mais crítica segue em São Miguel do Tocantins, na região do Bico do Papagaio.

O número de desabrigados que precisaram ser levados para abrigos públicos subiu de 264 para 334. Por outro lado, a quantidade de desalojados, que estão na casa de amigos ou parentes, caiu de 2.792 para 2.774.

O Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil seguem monitorando 31 cidades no estado, sendo que a região norte atualmente é a mais afetada.

  • Os desabrigados estão em Araguanã, Formoso do Araguaia, São Miguel, Rio dos Bois, Pedro Afonso e Tupirama.
  • Os desalojados são de Araguanã, Dois Irmãos, Esperantina, Paranã, Rio dos Bois, Pedro Afonso, Tupirama, Tupiratins, Palmeirante, Bom Jesus, São Sebastião, São Miguel, São Sebastião, Sampaio e Itaguatins.

Segundo a Defesa Civil, os dados são constantemente atualizados e algumas pessoas que estão na condição de desalojados podem ir para a condição de desabrigados e vice-versa.

Entenda

Chuvas intensas são registradas no estado desde o fim de dezembro. O grande volume provocou a maior cheia do rio Tocantins dos últimos 20 anos. Comunidades ficaram ilhadas e propriedades submersas.

No dia 5 de janeiro o governo do estado decretou situação de emergência por causa das enchentes. Atualmente 32 municípios são acompanhados pela Defesa Civil Estadual e o Corpo de Bombeiros.

Campanhas de arrecadação de itens essenciais estão sendo realizadas pela Central Única das Favelas no Tocantins (Cufa) e pela Ordem dos Advogados. Cestas básicas também são distribuídas pelo governo estadual.

(G1-TO)

Compartilhe no:

Relacionados