Tocantins - 17/06/2021 - 02:49

No dia das quebradeiras de coco, dona Raimunda é homenageada em I Feira Agroecológica

Postado em 08/11/2020

Compartilhe no:

Na celebração da I Feira Agroecológica do Babaçu, que ocorre neste sábado, das 15h às 19 horas, em São Miguel do Tocantins, foram realizadas degustações e vendas de produtos babaçu

Neste sábado, 7 de novembro, em celebração ao Dia Estadual das Quebradeiras de Coco Babaçu no Tocantins, a regional realiza a I Feira Agroecológica do Babaçu e da Agricultura Familiar, em São Miguel do Tocantins, em frente à prefeitura do município.

O dia 7 de novembro é celebrado em alusão e memória de Dona Raimunda, pioneira quebradeira de coco e uma grande liderança que esteve à frente da fundação do Movimento Interestadual das Quebradeiras de Coco Babaçu (MIQPB). Raimunda realizou muitas articulações, lutas e políticas em busca dos direitos das mulheres do campo.

O MIQPB, que representa a categoria em Imperatriz, no Pará, Piauí e Tocantins, em colaboração com a Cooperativa Interestadual das Mulheres Quebradeiras de Coco Babaçu (CIMQC), organizaram o evento para dar visibilidade e celebrar a luta das mulheres quebradeiras de coco.

Para a organizadora, Emilia Alves da Silva Rodrigues, de 65 anos, e quebradeira de coco desde os 17, o evento é especial porque é um dia nostálgico que representa muitas lutas. “Foi criada uma lei no dia 7 de novembro, dia das quebradeiras de coco do Tocantins, uma comemoração ao dia da quebradeira. É o dia que a dona Raimunda Gomes tá inteirando dois anos de falecida. Ela tinha muitos problemas de saúde, era diabética, tinha problemas de pulmão”, relembra a quebradeira de coco.

Emilia explica ainda que a celebração contará com vários produtos feitos do coco babaçu pelas produtoras. “Teremos degustações de bolos, brigadeiros, mingau do mesocarpo. Tem também óleo, azeite, sabão, sabonete”, declarou.

Dona Raimunda do Coco

Raimunda do Coco faleceu em 2018, aos 78 anos, e deixou um legado e lições de força e determinação frente a direitos, foi semeadora de sonhos e realizações, tornando-se, uma inspiração para as pessoas e deixa a grande lição de fonte de inspiração, união e luta coletiva para a população tocantinense e para o Brasil. Dona Raimunda é lembrada pelo MIQPB como “memória, semente e presença nos babaçuais!”.

16 ª Mostra Internacional do Cinema Negro – 2020

O filme sobre a dona Raimunda será apresentado na 16 ª Mostra Internacional do Cinema Negro – 2020, no formato digital, na plataforma do Museu da Imagem do Som de São Paulo – MIS SP. O evento começa na próxima terça-feira, 10, e tem duração até 14 de novembro. Além do festival, terá uma roda de conversa com os participantes sobre a temática.

Compartilhe no:

Relacionados