Tocantins - 28/02/2024 - 10:42

Folha do Jalapão

No Dia Mundial do Solo, Governo do Tocantins soma 104 mil mudas de espécies do Cerrado plantadas

Postado em 06/12/2023

Plantio de espécies contribui com a recuperação de áreas degradadas e o adensamento da vegetação de matas ciliares e nascentes

O Governo do Tocantins celebra o Dia Mundial do Solo nesta terça-feira, 5, com resultados expressivos de ações ambientais para conservação do solo no Estado. Em 2023, a Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh), com os Comitês de Bacias Hidrográficas e parceiros, somou 104 mil mudas de espécies do Cerrado plantadas, e o Estado contabilizou 340 nascentes recuperadas. 

No primeiro semestre deste ano, foi inaugurado a 4ª unidade do Centro de Recuperação de Áreas Degradadas do Estado do Tocantins (Crad), no total, a Semarh investiu mais de R$ 1,4 milhão do Fundo Estadual de Recursos Hídricos (FERH), na instalação dos viveiros, ampliando a capacidade máxima de produção para 400 mil mudas/ano. 

Na região sudeste, a Secretaria já instalou 3,2 mil barraginhas e estão previstas para o próximo ano outras 1,7 mil unidades que vão beneficiar a população da área rural na região centro-sul. As barraginhas atuam na contenção da água da chuva e de enxurradas, evitando a erosão do solo e o assoreamento do leito dos rios, melhorando a recarga dos aquíferos subterrâneos, colaborando com a renovação do lençol freático, o aumento da infiltração da água no solo, ao evitar o escoamento superficial e reduzir o risco de enchentes.

Respondendo pela Semarh, a secretária-executiva, Mônica Avelino Arrais, destaca que “é imperativo manter ações diárias e contínuas, que demonstram o nosso compromisso e do Governo do Tocantins, com a preservação do solo. Nesta data comemorativa, sobretudo de sensibilização, o Tocantins apresenta resultados promissores”.

“O solo coberto com vegetação funciona como uma esponja de absorção natural”, afirma o diretor de Planejamento e Gestão dos Recursos Hídricos da Semarh, Aldo Azevedo, ao ressaltar que “a cada 1% de aumento da matéria orgânica no solo, são retidos mais 150 mil litros de água por hectare. O plantio das mudas produzidas nos Crads [Centros de Recuperação de Áreas Degradadas do Estado do Tocantins] tem um papel relevante para recuperação de áreas degradadas, o que reflete na qualidade do solo e na recarga hídrica”.

“O metro cúbico de solo saudável tem a capacidade de reter mais de 250 litros de água”, comenta o engenheiro agrônomo da Semarh, Alexandre Barreto, que acrescenta, “alguns riscos estão associados à erosão, como a redução drástica de mais de 40% na capacidade do solo reter água, o deslizamento de terra, assoreamento de rios e até tempestades de areia ou poeira”.

O engenheiro florestal da Semarh, João Noleto, explica sobre os cuidados e as técnicas empregadas na produção das mudas. “É necessário dedicar a atenção à técnica apropriada para o plantio de cada tipo de semente, o clima conforme o período do ano, a irrigação, a redistribuição do excesso de mudas em um mesmo tubete, adubação, entre outros cuidados. Isso ressalta a importância do trabalho dos Comitês, das instituições parceiras e do envolvimento de cada cidadão em iniciativas de preservação da vegetação, do solo e dos recursos hídricos, elementos vitais para a qualidade de vida da população”, destaca.

Fonte: Secom-TO

Compartilhe no:

Relacionados