Tocantins - 28/02/2021 - 04:23

Novo coronavírus avança em cidades do Jalapão: Rio Sono também confirma primeiro caso

Postado em 23/05/2020

Compartilhe no:

O paciente idoso apresenta sinais clássicos e leves da doença, como febre e tosse, e se encontra em isolamento domiciliar, sendo assistido pela equipe de saúde do município.

Lentamente, o novo coronavírus avança nas cidades da região do Jalapão, com a inclusão de Rio Sono na lista de incidência. Até a manhã deste sábado, 23, além de Rio Sono, outros quatro municípios registram casos positivos: Santa Tereza, Ponte Alta, Novo Acordo e Lizarda, sendo que os pacientes foram infectados em viagens recentes feitas à Capital Palmas, que mantém 373 casos.

O primeiro caso de Rio Sono, trata-se de um paciente do sexo masculino, 61 anos residente no município. Ele apresentou sinais e sintomas da doença dia 17 de maio, três dias após retornar de tratamento oncológico no Hospital Geral de Palmas (HGP).

O paciente apresenta sinais clássicos e leves da doença, como febre e tosse e se encontra em isolamento domiciliar, sendo assistido pela equipe de saúde do município.

O diagnóstico positivo para a Covid-19 foi confirmado por meio da técnica de Swab (coleta em garganta, narina e em outras regiões onde se apresenta uma secreção ou muco) e avaliação de RT-PCR, realizado pelo Laboratório Central do Estado (Lacen). O caso foi comunicado ao município de Rio Sono na noite desta sexta-feira, 22 de maio.

A Secretaria Municipal de Saúde informou que mantém em monitoramento os contatos próximos ao paciente até o fim do prazo preconizado pelo Ministério da Saúde (MS), além de prestar toda a assistência necessária.

Orientações

Em meio à pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2), o Ministério da Saúde recomenda que viagens só sejam realizadas em casos de real necessidade. Para quem tem viagens não essenciais marcadas, o ideal é remarcar ou cancelar. A quarentena ajuda a conter a propagação do vírus.

Ficar em casa é ainda mais importante para quem compõe o grupo de risco, como idosos e pessoas com doenças crônicas, especialmente nas regiões com transmissão local da doença. Nesses casos, a recomendação é evitar não somente viagens, mas também contato social e lugares com possível aglomeração de pessoas.

Compartilhe no:

Relacionados