Tocantins - 23/01/2021 - 02:19

Prevenção contra o câncer é tema de palestra do Novembro Azul em Aparecida do Rio Negro

Postado em 01/12/2020

Compartilhe no:

E equipe de Saúde de Aparecida do Rio Negro, em parceria com a Assistência Social do Município, promoveu um momento para os homens, com foco na prevenção contra o câncer de próstata e pênis.

A Saúde do homem ainda é um tabu a ser quebrado na sociedade. O pensamento machista e o preconceito são uma barreira ainda a ser transpassada. O que todos já sabem, é que no caso do câncer, a prevenção é o melhor remédio, e com alguns cuidados, vidas podem ser salvas.

Por isso, com foco na Campanha mundialmente conhecida como Novembro Azul, as secretarias municipais de Saúde, e Assistência Social, promoveram um momento especial para a saúde do homem nesta segunda-feira, 30. No galpão da Unidade Básica de Saúde, os homens servidores da Saúde, Assistência, limpeza pública e Prefeitura Municipal, foram recepcionados com todos os protocolos de segurança e distanciamento social.

A coordenadora de Saúde Keyla Santos representou a secretária Municipal de Saúde, Sebastiana Luzia, e deu as boas-vindas aos participantes. A secretária de Assistência Social do Município, Ana Cláudia Gorosthides, foi representada pela diretora Marinalva Barros, que alertou os homens para a prevenção. “Que todos vocês saiam daqui bem informados, prestem bem atenção em tudo aquilo que for falado, porque o mais importante de tudo isso é que nós viemos fazer, a prevenção, que é o mais importante método contra o câncer de próstata”, enfatizou.

Palestra

O médico da Saúde da Família do Município, Dr. Leonardo Machado, abriu a palestra com importantes informações acerca do tema. “O novembro azul, é o carro-chefe da prevenção do Ministério da Saúde, que leva informações sobre o tratamento, a prevenção do câncer de próstata, para conscientizar o homem a respeito da saúde masculina. O homem, muitas vezes, tem preconceito, e nós queremos quebrar isso. Por isso a rede de saúde se une para levar esse momento a vocês”, disse ele.

A palestra, que falou sobre os sintomas, sinais e riscos, detecção precoce, diagnóstico e tratamento dos cânceres de próstata e pênis, foi desenvolvida pelos acadêmicos da medicina da Universidade Federal do Tocantins, Ricardo Goulart e Rafael Nogueira. Após tratar do assunto as dúvidas dos participantes foram esclarecidas em uma conversa dinâmica e descontraída.

Sem deixar de focar na prevenção contra o coronavírus, a equipe também realizou testes rápidos para a covid-19 nos homens. 14 testes foram realizados. Ao final além dos brindes sorteados, cada homem foi presenteado com um kit com álcool em gel e máscara. Um lanche finalizou o evento.

Seu Manoel Alves, servidor municipal, disse que a reunião lhe trouxe mais informações sobre a doença.  “Aprendi, fiquei bem conscientizado sobre as conseqüências da doença, e fiquei muito atento, me senti privilegiado em ouvir os médicos, porque muita gente não tem conhecimento. Isso é uma maravilha, e os homens têm que se cuidar melhor, para viver melhor”, avaliou.

Câncer

O câncer de próstata é o mais freqüente entre os homens brasileiros depois do câncer de pele. Conforme dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), foram diagnosticados 68.220 novos casos de câncer de próstata e cerca de 15 mil mortes/ano em decorrência da doença no Brasil, para cada ano do biênio 2018/2019.  

Dois exames iniciais têm grande importância para o diagnóstico da doença: o exame de sangue, por meio do Antígeno Prostático Específico (PSA), e o exame de toque retal. Na fase inicial, o câncer de próstata não apresenta sintomas e quando alguns sinais começam a aparecer, cerca de 95% dos tumores já estão em fase avançada, dificultando a cura. Na fase avançada, os sintomas são: dor óssea, dores ao urinar, vontade de urinar com freqüência e presença de sangue na urina e/ou no sêmen. 

Entre os fatores de risco estão histórico familiar de câncer de próstata (pai, irmão e tio); obesidade e raça: homens negros sofrem maior incidência deste tipo de câncer. A única forma de garantir a cura do câncer de próstata é o diagnóstico precoce. Mesmo na ausência de sintomas, homens a partir dos 45 anos com fatores de risco, ou 50 anos sem estes fatores, devem ir ao urologista para conversar sobre o exame de toque retal, que permite ao médico avaliar alterações da glândula. 

Já o câncer de pênis é um tumor raro, com maior incidência em homens a partir dos 50 anos, embora possa atingir também os mais jovens. No Brasil, esse tipo de tumor representa 2% de todos os tipos de câncer que atingem o homem, sendo mais freqüente nas regiões Norte e Nordeste. Para prevenir o câncer de pênis, é necessário fazer a limpeza diária do órgão com água e sabão. É fundamental ensinar aos meninos desde cedo os hábitos de higiene íntima, que devem ser praticados todos os dias.

A manifestação clínica mais comum do câncer de pênis é uma ferida ou úlcera persistente, ou também uma tumoração localizada na glande, prepúcio ou corpo do pênis. A detecção precoce do câncer é uma estratégia para encontrar o tumor numa fase inicial e, assim, possibilitar maior chance de tratamento. Quando diagnosticado em estágio inicial, o câncer de pênis apresenta elevada taxa de cura. 

Compartilhe no:

Relacionados