Tocantins - 17/06/2021 - 03:33

TO recebe nova remessa de vacina contra Covid e prevê ampliação de grupos prioritários

Postado em 03/05/2021

Compartilhe no:

Na próxima terça-feira (4), outro carregamento de vacinas deve chegar ao estado, totalizando 47.710 novas doses. Objetivo é ampliar o público para vacinação da população com comorbidades, gestantes, puérperas e deficientes permanentes.

Chegou ao Tocantins, neste domingo (2), uma nova remessa com 2.200 doses da CoronaVac. O governo informou que na próxima terça-feira (4) o estado deve receber mais 42 mil vacinas da AstraZeneca e 3.510 da Pfizer, totalizando 47.710 novas doses.

Conforme as informações, as doses da vacina AstraZeneca/Fiocruz estão planejadas para vacinação da 1° dose de pessoas de 60 a 64 anos e para aplicação da 1° dose dos grupos de pessoas com comorbidades, gestantes e puérperas e pessoas com deficiência permanente.

Já as doses da CoronaVac/Butantan estão direcionadas ao atendimento das 2° doses das pessoas de 60 a 64 anos e 1° e 2° dose para o grupo de forças de segurança e salvamento e forças armadas.

As doses da Pfizer serão destinadas, inicialmente, apenas para Palmas. A oferta da vacina seguirá o fluxo adotado até o momento para as demais vacinas, priorizando o grupo já estabelecido no Programa Nacional de Vacinação.

O transporte será realizado pelo Ministério da Saúde em embalagens específicas para garantir a temperatura negativa entre -25°C e -15°C. No Estado a vacina será armazenada em câmara fria específica, obedecendo aos padrões da Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

As equipes do estado e do município de Palmas já foram capacitadas para utilização da vacina e já receberam orientações necessárias quanto ao armazenamento e prazos para aplicação em temperaturas que podem ser de no máximo cinco dias à temperatura de +2°C a +8°C e até 14 dias (2 semanas) à temperatura de -25°C à -15°C.

O Brasil recebeu 1.000.350 dessa vacina para o reforço e aceleração da campanha.

Critérios

O Ministério da Saúde definiu alguns critérios para vacinação da população com comorbidades, gestantes, puérperas e deficientes permanentes. Pessoas que fazem parte desses grupos devem apresentar laudo médico, prescrição ou receituários carimbados:

  • Na fase I – Vacinar pessoas com Síndrome de Down, independentemente da idade (18 a 59 anos); pessoas com doença renal crônica em terapia de substituição renal (diálise) independentemente da idade (18 a 59 anos); gestantes e puérperas com comorbidades, independentemente da idade (18 a 59 anos); pessoas com comorbidades de 55 a 59 anos; pessoas com Deficiência Permanente cadastradas no Programa de Benefício de Prestação Continuada (BPC) de 55 a 59 anos;
  • Na fase II – Vacinar segundo as faixas de idade de 50 a 54 anos, 45 a 49 anos, 40 a 44 anos, 30 a 39 anos e 18 a 29 anos – pessoas com comorbidades; pessoas com deficiência permanente cadastradas no BPC; -gestantes e puérperas independentemente de condições pré-existentes.

Campanhas

Nesse momento, há duas campanhas de imunização em andamento: contra a Covid-19 e Influenza. A gerente de Imunização da Secretaria da Saúde, Diandra Sena, disse que a imunização contra o novo coronavírus deve ser priorizada.

“A campanha de vacinação da Influenza foi iniciada no mês de abril, os profissionais devem ficar atentos a alternância da vacinação, Influenza e demais vacinas do calendário e Covid-19. Devemos priorizar a vacinação contra a Covid-19, com intervalos mínimos de 14 dias entre a vacinação da Covid-19 e da Influenza, ou outras vacinas do calendário e caso o usuário apresente sintomas da Covid-19, aguardar a melhoria dos sintomas para vacinação”, reforçou. (G1-TO)

Compartilhe no:

Relacionados