TRISTEZA E PESAR: Presidente do Comurja, prefeito Pastor João, lamenta aprovação do Projeto que prevê concessão do Jalapão


A comunidade Jalapoeira amanheceu com sentimento de profunda tristeza nesta quarta-feira, 25, após a aprovação do Projeto que prevê a concessão de parques estaduais. O presidente do Consórcio dos Municípios da Região do Jalapão (Comurja) e prefeito de Mateiros, Pastor João Martins, lamentou a votação dos deputados estaduais, que não ouviram a voz das comunidades tradicionais da Região.

Quem mora no Jalapão ou atua na Região amanheceu nesta quarta-feira, 25, com sentimento de tristeza, incerteza e até pesar. A repercussão da aprovação do Projeto de Lei que autoriza o Governo do Estado a conceder para a iniciativa privada o Jalapão foi sentida por todos e manifestada por meio das redes sociais entre os moradores e empresários locais.

A aprovação veio mesmo após a Assembleia Legislativa (AL) informar que o projeto não seria votado antes da realização de audiências públicas com a comunidade e da tentativa do Ministério Público Federal em conseguir a suspensão da votação na Justiça, mas o pedido foi negado. O MPF queria que a comunidade fosse consultada antes da votação e pediu uma liminar, mas o juiz federal preferiu ouvir o Governo antes de decidir a questão.

A votação ocorreu sem a realização de audiências públicas junto aos moradores, que continuam sem ter voz diante do processo. O presidente do Consórcio dos Municípios da Região do Jalapão (Comurja), que engloba nove municípios da Região, e prefeito de Mateiros, que abrange a maior parte dos pontos turísticos, Pastor João Martins, lamentou que a votação tenha ocorrido sem que os deputados tenham ouvido as comunidades.

“Surgiu uma grande dificuldade para os jalapoeiros, muita gente não consegue dormir em paz, com o que está acontecendo. Hoje nosso sentimento é de tristeza e pesar por que nossa opinião não foi respeitada, mesmo sendo o clamor das nove cidades que compõem a região do Jalapão. Também queremos que a gente possa fazer parte desse projeto. Os parlamentares não ouviram a população. Esse sentimento de tristeza está em todos os municípios da Região. Não temos conhecimento até hoje do que é essa concessão e isso está causando pavor na população, um desgaste nos pequenos empresários locais, nas agências, que tem abençoado o povo, e levado o pão de cada dia aos pobres”, disse o presidente pastor João.

“Fomos surpreendidos com essa votação, fizemos um pedido durante a audiência na semana passada, para que ouvissem a população primeiro antes dessa aprovação na Assembleia, tendo em vista que o MPF fez esse pedido também, e estávamos confiantes que essa audiência iria acontecer, que as pessoas que estão lá na ponta, nas comunidades, iriam ter voz e poderiam falar, o que não aconteceu”, lamentou.

O prefeito enfatiza não ser contra a concessão, mas da forma como o processo vem ocorrendo, já que até agora as comunidades não sabem qual a verdadeira intenção do Governo do Estado. “Errado é o modo como está ocorrendo, porque não sabemos o que está por trás disso, mas o que sabemos é que já está tudo pronto, e isso tem causado muito pânico. Nós políticos não podemos agir assim, porque o povo está clamando em Mateiros por um Governo que apoiamos, uma pessoa que confiamos que não ia deixar as pessoas do jeito que está deixando, sem serem ouvidas, e isso é muito ruim”, comentou.

A população tem se manifestado de diversas maneiras e, mesmo assim, sua opinião não foi respeitada pelos parlamentares e pelo Governo do Estado. “Nossa busca é de informação e repostas para essa gente. Eu tenho um coração, tenho sentimento, paro para ouvir as pessoas, que me perguntam todo dia o que vai acontecer com as comunidades quilombolas, com os empresários que estão investindo”, afirmou.

Infraestrutura

Um dos aspectos abordados pelo prefeito Pastor João é a falta de estrutura do Jalapão, que tem sido buscada há anos pelos prefeitos da Região. “O nosso povo vai trabalhar para os outros porque o Governo simplesmente não apoia os pequenos empresários, porque não indenizam as pessoas que estão dentro do parque, por que não fazem a regularização fundiária. Querem fazer essa concessão ao invés de resolver situações pequenas para que os pequenos empresários possam crescer e amanhã ser empresários grandes também na região, apoiar as iniciativas privadas e a se desenvolverem na Região, tentando nos convencer que isso vai resolver os problemas do Jalapão”.

O prefeito agradeceu ainda os quatro deputados que votaram contra o Projeto: José Roberto, Júnior Geo, Elenil da Penha e Waldemar Júnior. “Quero agradecer os deputados que foram a favor de ouvir a população, de colocar na mesa nas comunidades Mumbuca, Boa Esperança, Rio Novo, para que as pessoas tivessem a consciência do que está acontecendo. Infelizmente os outros talvez nem conhecem o jalapão. A voz do governo é mais forte que o gemido do povo. Tenho certeza que Deus vai nos ajudar e ter uma saída para isso”, afirmou.

O gestor acredita ainda que todo o processo deve ocorrer, mas questiona se tudo já está pronto, tendo apenas que cumprir as formalidades. “Quando criaram o parque estadual, já chegaram com tudo pronto, e da mesma forma está acontecendo agora. A formalidade do processo vai acontecer, mas só para mostrar para o povo o que está ocorrendo. O que queríamos era estar dentro dessa construção”, disse.

Pastor João finaliza clamando que toda a população se mobilize, já que o projeto ainda deve ir ao Plenário, e que os moradores ainda darão passos em busca de repostas. “Quero também pedir ajuda a todas a pessoas, para que os nossos mateirenses não fiquem sem o pão de cada dia. Vamos em frente e continuar nesta luta! ”, conclui.

Compartilhe no:



Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *